Conselho Consultivo

Programa Infraestrutura & Energia – Impactos na América do Sul

Brent Millikan 
- Diretor de Programa da Amazônia, International Rivers

Brent Millikan apoia movimentos de populações atingidas por barragens e seus aliados para resistir com sucesso a barragens de alto impacto socioambiental, enquanto promove políticas alternativas em planejamento energético e gestão de bacias hidrográficas que contribuem para a vida sustentável e conservação ambiental nos países amazônicos, especialmente no Brasil e Peru. Ele viveu e trabalhou durante muitos anos como pesquisador, ativista e consultor na Amazônia brasileira, enfocando os impactos de grandes projetos de infraestrutura, principalmente estradas e hidrelétricas. Antes de ingressar na International Rivers, em 2010, colaborou extensivamente no Brasil com instituições acadêmicas, movimentos sociais, o Ministério do Meio Ambiente e ONGs como Amigos da Terra – Amazônia Brasileira. Formado em Estudos Ambientais e Estudos Latino-Americanos na Universidade da Califórnia, em Santa Cruz, e mestre em Geografia pela Universidade da Califórnia, em Berkeley

Sergio Guimarães Articulación Regional Amazonica – ARA & ICV

Engenheiro civil especializado em políticas ambientais de engenharia e transporte urbano. Participa do movimento ambientalista desde 1984. É fundador e membro do conselho do Instituto Centro de Vida (ICV), uma organização da sociedade civil de interesse público que trabalha no Cerrado e em regiões da Amazônia (http://www.icv.org.br/).

Representante das ONGs ambientalistas da região centro-oeste no CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente).Dirigiu o Departamento de Meio Ambiente do Mato Grosso e hoje trabalha principalmente com estudos e ações visando a formulação e monitoramento de políticas públicas ambientais e de desenvolvimento.

Jorge Daneri –  Instituto M’Biguá, Argentina

Jorge Oscar Daneri é advogado e presidente da Fundação M’Biguá para a Cidadania e Justiça Ambiental. É especialista em Direito Ambiental, trabalhando para, e com, organizações de justiça socioambientais na região do Cone Sul. Daneri também foi membro da Coordenação da Coalizão Rios Vivos e membro de vários outros consórcios, como a Rede de Entre Ríos de organizações socioambientais, (Articulação sobre IIRSA, Articulação Soja, e a Aliança Sistemas Húmidos para a defesa das zonas húmidas da bacia Paraguai-Paraná). Também integrou o corpo docente como professor na Escola de Marinha Viltes onde aconselhava estudantes de pós-graduação nas áreas de Educação Ambiental da CTERA, nos módulos de Cidadania e Justiça Ambiental, Ética e Sustentabilidade.

Cesar Gamboa – DAR – Peru

Cesar é Diretor Executivo do DAR “Derecho Ambiente y Recursos Naturales”. Dirige a Revista Latinoamericana de Derecho y Políticas Ambientales (2013). Ministrou cursos sobre Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável da Universidade Católica do Peru, Universidad Antonio Ruiz de Montoya, Universidad Nacional de la Amazonia Peruana, Universidad Nacional Mayor de San Marcos e Universidad Privada San Juan Bautista.

Cesar é líder em uma série de coalizões e redes na região amazônica, como Red Jurídica Amazônica, Articulação Regional Amazônica e de outras importantes think tanks da América do Sul.

Oscar Rivas – Sobrevivencia – FOE Paraguay

Fundador e Conselheiro Sênior da organização Sobrevivência, no Paraguai, é atualmente professor universitário e consultor. Foi contemplado com o Prêmio Ambiental Goldman juntamente com seu colega Elias Peña por seu trabalho na proteção aos rios de seu país e região. Oscar foi Ministro do Meio Ambiente, do Paraguai, sob a presidência de Fernando Lugo.

Mata Atlântica

CaroLina Campos – Membro do Movimento pelas Serras e Águas de Minas e da Articulação Internacional dos Atingidos e Atingidas pela Vale 

Carolina é mineira, ativista socioambiental, formada em Comunicação Social e especializada em Gestão do Ambiente e Sustentabilidade pela Fundação Getúlio Vargas. Co-fundou a ONG 4 Cantos do Mundo, a Rede Terra Viva – empreendimento de economia solidária que conecta produtores e consumidores de alimentos orgânicos e agroecológicos – e o Fundo Socioambiental CASA, no qual foi gerente de projetos por cinco anos.

Após alguns anos de caminhada na área ambiental escolheu concentrar sua energia na prática da agroecologia e no questionamento aos grandes projetos extrativistas, com destaque para o setor da mineração.

Programa Defesa Legal dos Direitos Indígenas

Ailton Krenak – Rede dos Povos da Floresta – Minas Gerais

Ailton Krenak recebeu a Comenda da Ordem de Mérito Cultural do Brasil, em 2008, é o presidente da Fundação Danielle Mitterrand-France Liberte Brasil e dirige a Rede Povos da Floresta, além de ser Diretor Executivo do Núcleo de Cultura Indígena-NCI. Pertence à etnia Krenak do Vale do Rio Doce, Minas Gerais. Ao longo de sua vida profissional recebeu os prêmios de Direitos Humanos das fundações Letelier Moffit e Onassis. Na década de 80 Ailton e Chico Mendes criaram a Aliança dos Povos da Floresta. Fundou e coordenou o Centro de Pesquisa Indígena e a Embaixada dos Povos da Floresta, em São Paulo no início dos anos 90, e promoveu o Festival de Dança e Cultura Indígena na Serra do Cipó entre 1998-2003. Ailton foi assessor especial para assuntos indígenas do estado de Minas Gerais, entre muitos outros papéis.

Chefe Almir Narayamoga Suruí – Presidente Associação Paiter Suruí – Rondônia

Ambientalista, ativista político e chefe do povo, Almir Narayamoga Suruí vem lutando para salvar tanto o seu povo como a floresta amazônica há mais de 20 anos. Mais notavelmente, é conhecido por sua capacidade de unir seu povo e parceiros em favor da busca de soluções para tornar as florestas vivas mais valiosas do que quando derrubadas. Em 2009 foi reconhecido como uma das 100 pessoas mais influentes do Brasil, em 2012 ganhou o Prêmio de Empreendedorismo Social, em 2013 ganhou o prêmio de Direitos Humanos do Governo Federal e prêmio Herói da Floresta da ONU. Também um títuro Doutor Honoris Causa da Universidade Federal de Rondônia. Almir também se juntou com outros líderes tribais para formular um “plano de 50 anos” para garantir a vitalidade econômica dos habitantes nativos da região. Seu plano inclui um projeto de reflorestamento em grande escala para as áreas que foram afetadas pela exploração madeireira ilegal, bem como planos de proteção e de renda alternativa. Além disso, o Chefe Almir está liderando o primeiro programa de pagamento de créditos de carbono em terras indígenas, na Amazônia brasileira. Para isso ele uniu organizações de três continentes diferentes para colaborar com os Suruí.

Ruth Buendía Metosquiari Ashaninka CARE – Central Ashaninka del Rio Ene – Peru

Ruth Buendia Mestoquiari, presidente da Central Ashaninka del Rio Ene no Peru é uma mulher Ashaninka e líder da comunidade indígena de Cutivireni no Vale do Ene. Após o período de violência social sofrida na Selva Central sob o movimento Sendero Luminoso, Ruth foi deslocada de sua comunidade para a cidade de Satipo, onde começou seu trabalho com as organizações indígenas Central Ashaninka do Rio Ene e ARPI SC – Associação dos Povos Indígenas da Floresta Central Regional. Nestas organizações teve a oportunidade de voltar à sua comunidade e trabalhar com as mulheres indígenas e líderes comunitários. Em 2005, Ruth foi eleita como membro da equipe de gestão da CARE e em 2006 foi eleita presidente da organização, e re-eleita em 2009. Ruth tornou-se uma importante líder das comunidades Ashaninka do rio Ene e porta-voz fundamental para o povo Ashaninka em suas lutas pelo Vale do Rio Ene do Peru. Em 2014 ganhou o prêmio ambiental Goldman.

Aida Quilcué Vivas –  Consejo Regional Indígena del Cauca- CRIC, Colombia

Aida Quilcué, uma das líderes indígenas mais importantes da Colômbia, é porta-voz dos povos indígenas de seu país, e da Minga Social e Comunitária. Como Conselheira Presidente do Conselho Regional Indígena de Cauca (CRIC), Aida é uma das figuras-chave por trás da Minga Popular, um processo nacional de mobilização e conscientização dos direitos dos povos indígenas na Colômbia.

Angela Pappiani – Ikore Cultural, São Paulo, Brasil

Angela é jornalista e produtora cultural. Trabalha há mais de 30 anos desenvolvendo projetos culturais com os povos indígenas que afirmam e difundem sua tradição e pensamento. Em seu caminho estão parcerias com mais de 40 grupos étnicos em todas as regiões do Brasil, e os povos indígenas das Américas, Noruega, Japão, Nova Zelândia e África do Sul. Em 2010 ganhou o Prêmio Roquette Pinto por seu trabalho como criadora e diretora do projeto “Aldeias Sonoras”. Entre suas principais realizações estão exposições importantes, incluindo a “Sentinela Yanomami”, “Tradição e Tecnologia”, aconselhamento para os álbuns “TXAI” de Milton Nascimento, “Roots” da banda Sepultura, a produção de documentários como “A’uwe Uptabi”, “Wanaridobê”, “Rito de Passagem” e “Estratégia Xavante”. Organização de livros como o “Wamrêmé Za ‘ra – Nosso Mito Palavra e História do Povo Xavante” (Editora Senac SP -1998). Atualmente é diretora da empresa cultural Ikore, autora dos livros “Gente” e “Entre Dois Mundos”, criou o site www.programadeindio.org, com 200 programas de rádio feitos por povos indígenas.

Monti Aguirre – International Rivers – Berkeley

Monti faz parte do Programa América Latina da International Rivers que apoia movimentos locais para a proteção dos rios. Identifica novos projetos de barragens na América Latina e analisa os seus efeitos econômicos, sociais e ambientais, projetando estratégias para diminuir seus impactos. Trabalhou por mais de uma década no apoio aos direitos dos povos indígenas da Amazônia e é co-produtora do documentário “Amazônia: Vozes da Floresta”, um filme sobre a luta de grupos de base na Amazônia para defender suas vidas e suas terras. Antes de ingressar na International Rivers, em 1998, Monti trabalhou com a Coalizão de Ação Ambiental e El Puente Academy for Peace and Justice, em Nova York. É Bacharel em Antropologia e mestre em Educação Ambiental e Conservação pela Universidade de Nova York.

Randy  Hayes – Diretor Executivo da Foundation Earth, USA

Randy Hayes foi descrito pelo Wall Street Journal como “um ambientalista pit bull”. Ele é Diretor Executivo da Foundation Earth, uma nova organização que repensa a condição humana em relação aos sistemas de vida do planeta. Como um ex-cineasta e fundador da Rainforest Action Network, ele é veterano de campanhas de responsabilidade corporativa de alta visibilidade e tem defendido os direitos dos povos indígenas. Por sete anos foi Presidente da Comissão de Meio Ambiente da Cidade de São Francisco, e Diretor de Sustentabilidade na Prefeitura de Oakland durante a gestão de Jerry Brown (ex-governador da Califórnia). Como amante da vida selvagem, Hayes explorou as High Sierras, as montanhas rochosas canadenses, as florestas tropicais da Amazônia, América Central, Congo, Sudeste da Ásia, Bornéu e Austrália. Ele é um conselheiro especial do World Future Council.

Empreendedorismo Comunitário

Daniel Sabará – Diretor da Corporação – Health & Personal Care at Beraca

Diretor Corporativo e membro da terceira geração da família fundadora, Daniel Sabará tem sido responsável pelas áreas de operação da empresa, Desenvolvimento de Pesquisa e Inovação, bem como do Programa de Valorização da Biodiversidade da Beraca.

Desenvolvimento Institucional

Tamara Mohr – Both ENDS – Holanda

Tamara é antropóloga e trabalha na Both ENDS – uma organização com sede na Holanda que busca aumentar a capacidade das OSC no apoio aos meios de subsistência sustentáveis das populações locais no sul global. Na Both ENDS, foi a coordenadora européia da Coalizão Rios Vivos desde a sua criação em 1992. Tamara tem mais de 25 anos de experiência trabalhando com organizações da sociedade civil na América Latina, apoiando-as no estabelecimento de contactos com doadores, formuladores de políticas e desenvolvimento de capacidades.

Denise Bebbington – Clark University, USA

Denise é Professora de Desenvolvimento Internacional e Mudança Social (IDSC) na Clark University. Diretora do Programa de Estudos de Gênero, tem um longo compromisso com a América Latina, tendo trabalhado como coordenadora da América Latina para o Global Greengrants Fund, como representante da Fundação Inter-americana para o Peru, como Sub-Diretora para a América do Sul na Catholic Relief Services, e também Diretora de Projetos para a Guatemala. Sua pesquisa recente aborda a expansão da indústria extrativa e o desenvolvimento de infra-estrutura na América do Sul, as respostas das organizações do movimento socioambiental e da ecologia política da extração de recursos naturais. Atualmente está envolvida em dois projetos colaborativos de pesquisa, explorando as relações entre conflito socioambiental, a indústria extrativa, a descentralização e o desenvolvimento sub-nacional na região andino-amazônica.

Carlos Afonso – Instituto NUPEF

Formado em engenharia naval na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Brasil. Mestre em Economia pela Universidade de York, Toronto, Canadá, doutorado em Pensamento Social e Político na mesma universidade. É co-fundador, com Herbert de Souza (Betinho), do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas, o IBASE (1981), Rio de Janeiro. Neste período concebeu, implementou e liderou o projeto Alternex, o primeiro sistema de informação e comunicação baseada em computadores na América Latina a serviço das organizações da sociedade civil. Também ajudou a fundar a Associação para o Progresso das Comunicações (APC), como representante do IBASE, em maio de 1990. É membro do CGI – Comitê Gestor da Internet no Brasil desde sua fundação. Em outubro de 2008, foi escolhido como Personalidade do Ano pela revista brasileira ARede (www.arede.inf.br). Atualmente atua como diretor executivo do Instituto Nupef (www.nupef.org.br). Carlos Afonso é autor de vários artigos, estudos e livros sobre temas sociais e políticos e sobre o desenvolvimento da Internet, publicado em Português, Espanhol, Francês e Inglês.

Leave Comment